Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Entenda a importância dos Indicadores de desempenho logísticos!

143 Visualizações

Entenda a importância dos Indicadores de desempenho logísticos!

Entenda a importância dos Indicadores de desempenho logísticos!

Tão importante quanto atingir bons resultados na logística da empresa, é saber também quais as variáveis foram responsáveis por esse feito. Dessa forma fica mais fácil investir no que está dando certo ou, por outro lado, corrigir o que não está de acordo com as metas. Por isso é tão importante conhecer e dominar os chamados indicadores de desempenho logísticos ou Key Performance Indicator (KPI).

Neste contexto, o gerente deve sempre estar a par do desempenho do setor. Mas, para isso ele necessita de indicadores confiáveis e capazes de demonstrar a real situação dos processos que o compõe. Esse é o primeiro passo para uma tomada de decisão mais acertada.

No post de hoje vamos explicar um pouco mais sobre a importância desses indicadores de desempenho e dar alguns exemplos daqueles que você precisa sempre estar atento para conseguir bons resultados. Acompanhe!

1. Afinal, qual a importância dos indicadores de desempenho logísticos?

Trabalhar às cegas nunca foi e nem nunca será a melhor maneira de gerenciar processos dentro de uma empresa. Ter ciência dos fatores que influem nos resultados da corporação é fundamental para o bom funcionamento de cada um dos seus setores. Com a logística não é diferente.

Quando falamos em indicadores de desempenho, estamos nos referindo a algumas métricas definidas, e que são capazes de precisar com eficiência como anda o desempenho da logística do seu negócio.

A sua importância se deve ao fato de servirem como uma espécie de diagnóstico para os gerentes, indicando possíveis inconsistências nos processos e nos locais onde há a necessidade de alguma intervenção. Assim fica muito mais fácil acompanhar os resultados e tomar decisões.

Além disso, os indicadores de desempenho logísticos são úteis em tarefas como:

1.1 Identificação de processos desajustados

Uma logística eficiente depende de uma sucessão de processos que devem estar ajustados uns com os outros. Por exemplo, de nada adianta a empresa conseguir processar todas as suas vendas com agilidade, se na hora de separar as mercadorias houver lentidão e as mesmas ficarem acumuladas.

Nesse tipo de situação, haveria a necessidade de um indicador de desempenho em cada etapa do processo logístico, de forma que seja possível compatibilizar todos eles, em termos de agilidade, para estabelecer um fluxo contínuo no serviço.

1.2 Otimização dos resultados da logística

De maneira bem simples é possível concluir que se a empresa consegue acompanhar o desempenho dos seus processos, fica mais fácil também corrigir falhas e melhorar os seus resultados.

Mais uma vez, ter indicadores precisos e úteis para a análise dos gerentes pode ser visto como uma forma de otimizar toda a gestão da logística. Afinal, por meio de um diagnóstico de produtividade e desempenho, por exemplo, é possível ter certeza de onde as falhas estão acontecendo e também quais as etapas estão funcionando da maneira desejada.

1.3 Melhora na satisfação do cliente

Bons indicadores de desempenho, como dissemos, são capazes de otimizar os resultados da logística. Isso, de maneira indireta, por exemplo, reduz o tempo nas entregas e também evita que eventuais atrasos ocorram.

Tais fatores são cruciais para a satisfação dos clientes, pois terão as suas compras sempre entregues a tempo e no modo como foram acordados.

2. Como definir esses indicadores?

Que eles são importantes, você agora já sabe. Porém, é preciso saber também como os indicadores de desempenho logísticos podem ser estabelecidos na empresa.

De início, é fundamental saber que não existe um modelo pronto de indicadores. Na realidade, a sua criação deve ser feita com base nas características de cada empresa, compatibilizando-os com a sua estratégia de negócios — de tal forma, um indicador pode ser altamente importante para um negócio e, ao mesmo tempo, não ter valor algum em outro.

Em se tratando de logística, para se estabelecer bons indicadores, por exemplo, é necessário levar em consideração questões como:

  • a equipe de trabalho;
  • estoque;
  • transporte;
  • sistemas;
  • frota de veículos, máquinas etc.

A partir desses pilares você deve definir quais as metas que a empresa almeja em cada um deles e, então, criar um parâmetro para o que considera como bom desempenho. Por exemplo, se a empresa utiliza-se de transporte rodoviário para entregar suas remessas, deve considerar o tempo das entregas, índices de atrasos e avarias nas mercadorias.

3. Quais são os indicadores mais importantes?

Como dito, cada empresa define os seus indicadores com base no seu modelo de atuação e estratégia. Porém, quando o assunto é logística, existem alguns que são tidos como elementares. Vejamos alguns exemplos:

3.1 OTIF (On Time, In Full)

Esse é tido como um dos indicadores mais importantes para a logística. Em resumo, ele representa a eficiência no cumprimento de prazos (“On time”) e também se o processo de entrega atendeu às expectativas do consumidor(“In Full”) — produto entregue conforme esperado, completo, embalagem integra etc.

Para calcular essa métrica, é fundamental que o desempenho de cada elemento seja analisado individualmente. Desta forma, “On time” e “In Full” são coisas distintas.

Sabendo disso, basta multiplicar um pelo outro. Por exemplo, se uma empresa realiza 100 entregas, das quais 80 tiverem o prazo cumprindo (“On Time”) e 60 atenderam as especificações (“In Full”). Então chegamos a equação: OTIF = 0,80% x 0,60% = 0,48% ou 48%.

Como sabemos, as reclamações por problemas na entrega são as campeãs na lista de insatisfação dos clientes. Motivo mais que suficiente para ter esse indicador sempre em níveis aceitáveis.

3.2 OTD (On-Time Delivery)

Esse indicador é um pouco mais simples que o anterior, pois leva em consideração apenas o percentual de pedidos entregues no prazo, independentemente das especificações dos produtos.

Assim, para se chegar a um valor basta dividir o número de entregas no prazo pelo total de entrega e multiplicar por cem — TEP/TE x 100.

3.3 OCT (Order Cicle Time)

Essa métrica leva em consideração o tempo total decorrido do momento em que o cliente faz o pedido até a sua efetiva entrega. É sobre ele que o consumidor deposita as suas expectativas.

Seu cálculo é feito da seguinte forma: data/hora de entrega do pedido ao cliente subtraída a data/hora do recebimento do pedido pela empresa.

Por fim, como vimos, ter indicadores de desempenho logístico é essencial para aquelas empresas que desejam ter controle total desse setor. Afinal, como sabemos, questões envolvendo a entrega de produtos são as campeãs de reclamações pelos clientes. Motivo mais que suficiente para que os gerentes não meçam esforços para garantir o bom desempenho de todos os processos envolvidos.

Gostou do post? Acha que foi esclarecedor? Deixe seu comentário abaixo com as suas impressões ou eventuais dúvidas! Para nós será um prazer respondê-lo.

Deixe um comentário