Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Conheça os 7 principais tipos de estoque

4149 Visualizações

Conheça os 7 principais tipos de estoque

Conheça os 7 principais tipos de estoque

A gestão de estoque é um dos processos mais importantes para o desempenho logístico das empresas. Porém, muitos gestores ainda encontram dificuldades para adequar suas práticas e identificar, entre os tipos de estoque, aquele que melhor se adapta às necessidades de cada organização.

Essa é uma estratégia que facilita o gerenciamento da jornada de cada produto, evitando perdas e promovendo o acompanhamento adequado das demandas do mercado, o que aumenta a vantagem competitiva dos negócios.

Por isso, o artigo de hoje apresenta os 7 principais tipos de estoque. Confira, esclareça suas dúvidas e descubra como melhorar os resultados da sua empresa!

1. Estoque de antecipação

Também chamado de estoque sazonal, esse tipo de estoque é utilizado pelas empresas quando elas se veem diante de uma previsão de alta demanda, que exige produção elevada e prontidão na entrega.

É o que acontece, por exemplo, durante a Black Friday ou em épocas como o Natal, a Páscoa ou as grandes liquidações nas mudanças de estação.

Nesse caso, a produção ou a aquisição dos itens é elevada com a intenção de garantir o pronto atendimento do volume total de pedidos, suprindo a necessidade dos consumidores e aproveitando todas as oportunidades de negócio.

O estoque de antecipação também é uma estratégia a ser pensada quando os gestores percebem a possibilidade de problemas com o fornecimento dos itens, o que pode prejudicar o atendimento dos pedidos.

2. Estoque de ciclo

Esse é o tipo de estoque mais adequado para as empresas que possuem uma intensa rotatividade de produtos e precisam garantir a otimização dos níveis de estoque a partir de demandas diferentes e constantes.

Ainda que a produção dos vários itens não seja simultânea, é preciso manter todas as mercadorias sempre à disposição do consumidor. Isso exige a movimentação constante do estoque, por meio de códigos específicos que facilitem o monitoramento dos produtos e a definição de limites mínimos e máximos para cada um deles.

Dessa forma, a empresa pode manter o volume de vendas em alta e, ao mesmo tempo, evitar perdas em caso de mudanças na demanda do mercado.

3. Dropshipping

Diante do crescimento do e-commerce e da consolidação de outras tendências do mercado atual, a gestão logística deve ser capaz de responder rapidamente às mudanças nos métodos de varejo e nas relações de consumo.

Nessa realidade, o dropshipping é tanto um modelo de varejo quanto um tipo de estoque, no qual o consumidor faz uma compra em uma loja virtual, que encaminha o pedido para o fornecedor e esse, por sua vez, envia o produto em nome da loja na qual foi feita a compra.

Aqui, é fundamental contar com bons parceiros de negócio, entre transportadoras e centros de armazenagem, capazes de atender prontamente às demandas e de fazer as entregas sempre dentro do prazo.

4. Estoque de proteção

Conhecido também como estoque isolador, esse é um dos tipos de estoque mais utilizados pelas empresas do varejo, principalmente em setores mais robustos como o automobilístico ou o alimentício.

Como o próprio nome diz, o objetivo é proteger as operações de venda e promover a disponibilidade dos produtos mesmo diante de situações desfavoráveis para a gestão de estoque, como altas de preço ou greve de fornecedores.

O estoque de proteção também ajuda as empresas a manter a atividade diante de elevações súbitas na demanda do mercado, garantindo a satisfação dos clientes.

5. Estoque de canal

O tempo que os produtos ou insumos passam nos caminhões e demais veículos responsáveis pelo transporte de cargas também deve ser considerado nas operações de gestão de estoque.

Por isso, o estoque de canal é um tipo intermediário de estoque, referente ao trânsito das mercadorias entre sua origem e seu destino final, também chamado, por essa razão, de estoque em trânsito.

O controle sobre os itens em trânsito é igualmente necessário, sobretudo no que diz respeito às operações de monitoramento de carga, as quais são amplamente favorecidas pelo emprego qualificado da tecnologia na atualidade.

6. Estoque inativo

No varejo, o estoque inativo é composto por mercadorias que não tiveram um bom desempenho de vendas, tornando-se obsoletas e esquecidas pelos clientes.

Nesses casos, os gestores devem colocar em prática as melhores técnicas de negociação e fazer valer o bom relacionamento com os fornecedores, para conseguir trocar os itens parados por outros, de maior saída.

Outra alternativa válida é aguardar os períodos de saldão e realizar promoções que ofereçam esses itens por um preço mais atrativo, ainda que eles façam parte de combos promocionais, ao lado de produtos mais procurados.

7. Estoque máximo

O estoque máximo trabalha sempre na perspectiva da quantidade máxima de produtos disponíveis no estoque durante um período de tempo previamente determinado. O seu cálculo considera o limite mais alto para aquisição de mercadorias, seja devido ao espaço para armazenamento disponível, seja por determinação do setor financeiro da empresa.

Ao adquirir uma quantidade elevada de itens de uma só vez, as empresas podem negociar preços melhores por cada mercadoria, assim como facilidades no pagamento, o que favorece a economia de recursos.

Chegando ao final do nosso artigo, fica claro que conhecer bem os tipos de estoque tornou-se uma exigência do mercado atual, que permite otimizar as práticas da sua empresa e alcançar os melhores resultados junto a clientes e fornecedores.

Por que é importante conhecer bem os tipos de estoque?

Conhecer bem os tipos de estoque é essencial para que as empresas possam manter a eficiência dessa operação logística e trabalhar por meio da antecipação de demandas, o que previne perdas, reduz custos e aumenta a produtividade.

O objetivo é identificar os produtos mais vendidos ou os insumos mais utilizados na cadeia de produção e garantir que eles estejam sempre disponíveis, permitindo que a empresa aproveite todas as oportunidades de crescimento oferecidas pelo mercado.

Dessa forma, conhecer os tipos de estoque e adequar os processos da sua empresa pode favorecer, inclusive, o relacionamento com os fornecedores, especialmente com as transportadoras especializadas em cargas fracionadas.

Agora que você já sabe quais são os principais tipos de estoque e por que é importante saber escolher entre eles confira, em outro artigo do nosso blog, o que muda na logística de cargas fracionadas.

 

Comentários (1)

  • Avatar

    Yeda

    |

    Conteúdo muito esclarecedor e didático, parabéns!

    Reply

Deixe um comentário

Open chat