Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Transporte de cargas: 6 erros que afetam o produto e o tempo de entrega

194 Visualizações

Transporte de cargas: 6 erros que afetam o produto e o tempo de entrega

Transporte de cargas: 6 erros que afetam o produto e o tempo de entrega

O transporte de cargas é um trabalho muito importante e, ao mesmo tempo minucioso, que não comporta erros. As perdas e os atrasos na entrega são problemas que afetam à confiabilidade do consumidor e acabam encarecendo o frete, o que ressalta a importância de se primar por um transporte de qualidade.

Muitas vezes, a existência de tais falhas pode ser associada ao cometimento de alguns erros relativamente comuns. Como toda a logística do transporte pode ser afetada, os profissionais da área precisam identificar e evitar esses erros.

Se você é um gerente de logística e quer reduzir ao máximo os problemas no transporte de carga em sua empresa, não pode deixar de conferir o post de hoje. Listamos os seis erros que mais prejudicam o setor e preparamos dicas infalíveis para superá-los. Então, acompanhe!

1. Não investir em treinamento de equipe

Em uma empresa de logística, os treinamentos devem ser constantes. Alguns gestores, por possuírem uma agenda cheia e diversas responsabilidades, acabam se descuidando do treinamento de pessoal, o que gera consequências diretas na qualidade do serviço prestado.

O erro se agrava ainda mais quando há troca de funcionários e a contratação de novos colaboradores, pois eles acabam aprendendo os processos da maneira nem sempre mais adequada.

Desse modo, desde o operador de máquinas e sistemas até os motoristas, os funcionários devem receber treinamentos específicos e contínuos, com o estabelecimento de um padrão para manuseio e transporte da carga. Isso evita acidentes e danos aos produtos, além de proporcionar mais rapidez ao processo.

2. Não utilizar os equipamentos adequados

tecnologia e os avanços no setor de logística proporcionaram a existência de inúmeros equipamentos que tornam o transporte e deslocamento de cargas mais rápido e seguro. No entanto, é comum encontrarmos falhas na utilização de mecanismos envolvidos nessa operação.

Os erros vão desde a falta de maquinário adequado à utilização indevida dos instrumentos disponíveis para o transporte. Além disso, a falta dos equipamentos de segurança obrigatórios — e os não obrigatórios — prejudicam a produtividade e eficiência dos funcionários envolvidos.

Por outro lado, quando uma empresa faz o uso correto de todas as ferramentas à sua disposição, ela confere mais agilidade, fluidez e qualidade ao serviço prestado, refletindo positivamente na satisfação de seus clientes.

Assim, adotar, por exemplo, indicadores de impacto e o processo de selagem e amortecimento da carga é um diferencial que proporciona melhora significativa no transporte, evitando a perda de produtos e reduzindo os danos aos mesmos.

3. Não planejar o transporte de cargas

Em qualquer setor de uma organização, o planejamento pode ser apontado como uma das ações que mais contribuem para o sucesso das operações. Na área de logística, apesar de ser uma falha recorrente, a premissa se repete.

Um planejamento previamente realizado evita que inúmeros problemas surjam ao longo da execução da ação. Mesmo que algo errado aconteça, os profissionais estão mais preparados para lidarem com a adversidade e solucionarem o impasse de maneira rápida e eficiente.

Assim, planejar a disposição das caixas dentro dos caminhões e até mesmo nos depósitos e galpões são exemplos de como um simples plano inicial pode otimizar o processo, tornando-o mais ágil e seguro.

De outro modo, deixar de realizar esse planejamento pode causar perdas durante o transporte, com o deslocamento da carga dentro do caminhão e até acidentes durante a movimentação interna nos galpões, devido à existência de obstáculos mal acondicionados nos corredores.

4. Não emitir o MDF-e em operações intermunicipais dentro do estado

Algumas transportadoras, por desconhecimento, cometem o erro de emitir o MDF-e (Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos) apenas nos casos em que existem mais de um CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) por estado. No entanto, a portaria CAT 08/2014 passou a definir como obrigatória, desde 01/10/2014, a sua emissão no transporte intermunicipal para os estados de Minas Gerais e São Paulo. Para os demais estados ainda não é obrigatória.

Isso significa que se o motorista, ao ser parado na fiscalização, não tiver com essa documentação em mãos, será autuado com a imposição de multa à transportadora, além de ser determinada a apreensão do veículo.

Assim, a inobservância dessa norma legal pode gerar sérios danos ao transporte de cargas, que fatalmente sofrerá um atraso, devido à retenção do veículo enquanto o problema não for sanado. Portanto, fique atento e não deixe de providenciar a emissão do MDF-e.

5. Não investir no manuseio e armazenamento seguro de mercadorias

A embalagem é uma das questões que mais influenciam na integridade do produto transportado e, quando inadequada, pode comprometer sobremaneira a entrega da carga ao destinatário final.

Uma transportadora de qualidade sabe disso e procura investir no manuseio e no armazenamento correto dos produtos. Afinal, receber uma carga danificada, com certeza, gerará descontentamento em seus clientes.

Em um país com tamanha extensão territorial e com estradas e rodovias em condições precárias, é comum a trepidação e choque de carga dentro dos compartimentos do caminhão. Por isso, um processo de embalagem adequado evitará que haja perdas de produtos.

Se esse cuidado não existir, cargas mais frágeis como bebidas, cosméticos e eletrodomésticos podem chegar ao destino final totalmente danificadas, amassadas e impróprias para o uso. Ou seja, um prejuízo enorme para a empresa responsável pelo transporte.

6. Não avaliar cuidadosamente o currículo de seus motoristas

Na maioria das vezes, um motorista experiente é mais cuidadoso com o transporte, sofre menos acidentes e tende a levar menos multas que um mais novo no mercado. Assim, avaliar com cautela os currículos antes da contratação é essencial.

Afinal, contratar um bom motorista é sinônimo de ter em sua equipe um profissional responsável e dedicado em entregar uma carga íntegra e em tempo razoável. Ou seja, sua empresa cumprirá com os prazos sem perder a qualidade e a segurança do serviço prestado.

Como você percebeu, alguns erros no transporte de cargas podem ser decisivos para o aumento das perdas e danos às mercadorias entregues. No entanto, com trabalho e planejamento, todas essas falhas podem ser facilmente superadas. Sendo assim, comece a aplicar os conhecimentos adquiridos hoje e se torne um gerente de logística respeitado e reconhecido em sua empresa.

Tem alguma dúvida de como tornar o transporte de cargas mais seguro e ágil? Quer dividir alguma experiência conosco? Deixe seu comentário!

Comentários (2)

  • Avatar

    Romulo Henrique Madjarian Ribeiro

    |

    Boa tarde, meu nome é Romulo Henrique Madjarian Ribeiro moro em Betim-MG e gostaria de fazer parte da equipe no setor de transporte (entregas) nas regiões Belo Horizonte, Contagem, Betim e cidades de interior. Desde já agradeço.
    att
    Romulo Madjarian

    Reply

Deixe um comentário