Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Logística e meio ambiente: por que a sua empresa precisa investir nisso

315 Visualizações

Logística e meio ambiente: por que a sua empresa precisa investir nisso

Logística e meio ambiente: por que a sua empresa precisa investir nisso

O mundo e a sociedade estão sempre em constante mudança, o que faz com que empresas tenham que, de tempos em tempos, se adaptar a diferentes realidades e se manter conectadas com novas demandas.

Se por muito tempo a prioridade das empresas era basicamente o fator econômico, atualmente, muitas organizações passaram a se preocupar mais com questões socioambientais e com o impacto de suas operações na natureza.

A logística, assim como diversos segmentos, possui um grande potencial poluente. Nesse sentido, reduzir a emissão de ruídos e gases e lidar com o descarte de materiais são alguns dos desafios que precisam ser contornados por gestores da cadeia de distribuição.

Contudo, como falamos, os tempos são outros, e a adoção de práticas sustentáveis pode beneficiar e muito sua empresa — além de fazer bem ao planeta!

Quer entender melhor a relação entre logística e meio ambiente e ver por que você precisa começar a pensar nisso agora mesmo? Continue a leitura deste post e saiba mais!

A ligação entre logística e meio ambiente

Financeiramente falando, a logística é um dos setores que mais demanda investimento de recursos. Ao mesmo tempo, ela também demanda o máximo de eficiência operacional. Por conta dos impactos que ela gera no desenvolvimento e nos processos de uma empresa, é possível perceber rapidamente as vantagens que as iniciativas sustentáveis possibilitam.

Práticas ambientalmente responsáveis estão ligadas à redução de desperdícios e resíduos. Além disso, elas promovem iniciativas de reaproveitamento e economia de tempo e recursos.

A sustentabilidade apoia a incorporação de processos mais enxutos e ágeis, que geram menos impacto na cadeia de distribuição. Consequentemente, a empresa, além de enxugar custos, consegue agregar mais valor e qualidade às operações graças às melhorias no processo de produção.

Reforço da marca

É sabido que os clientes atualmente são muito mais exigentes e bem informados. Ao agir de forma sustentável, empresas têm a oportunidade de reforçar sua reputação diante dos consumidores, passando uma imagem mais sólida e séria.

Com essa medida, a instituição pode conquistar um novo público — que busca produtos e serviços mais qualificados —, além de reter seus consumidores atuais.

Ademais, é importante ressaltar o quanto o conceito de sustentabilidade vem crescendo em todo o mundo, de tal forma que o mercado internacional valoriza empresas que investem em ações a favor do meio ambiente.

Assim, além de ganhar um diferencial competitivo, organizações ecologicamente responsáveis têm mais espaço para conquistar mercados externos e fazer parcerias que favoreçam o crescimento do negócio.

O impacto da sustentabilidade nos custos

Ao contrário do que se pensa, ações sustentáveis não implicam aumento nas despesas de uma empresa. Longe disso, elas podem ajudar instituições a reduzir gastos.

Iniciativas de responsabilidade ambiental favorecem processos mais econômicos e eficientes, livres de erros, retrabalhos e desperdícios. Todos esses itens geram custos desnecessários. Sem contar que políticas de reaproveitamento e reciclagem promovem a longevidade do uso dos recursos.

Ao mesmo tempo, empresas que já incorporam práticas sustentáveis em seus processos não correm o risco de ter problemas com o governo e sofrer com multas ou embargo na produção por conta de problemas com o meio ambiente.

Boas ideias para uma logística mais sustentável

Práticas sustentáveis contribuem muito para o sucesso em logística, além de fazerem muito bem para a sociedade e para a natureza. Conheça a seguir 5 ideias e entenda por que sua empresa tem muito a ganhar com elas:

1. Logística reversa

A logística reversa é uma iniciativa criada para fazer diferença na natureza e na sociedade, uma vez que ela proporciona o reaproveitamento de materiais. Essa prática exige que os fabricantes e consumidores compartilhem a responsabilidade de dar o destino correto aos resíduos de produtos ou serviços.

No momento do seu descarte ou devolução, os clientes devem conduzir o material de volta à empresa — por meio de postos de coleta, por exemplo. Esta, por sua vez, deve se responsabilizar por dar um destino ecologicamente correto para os resíduos, podendo reciclá-los e incorporá-los novamente na cadeia produtiva.

Dessa forma, a logística reversa promove não somente a diminuição de resíduos no meio ambiente, como proporciona uma oportunidade de redução de consumo de matérias-primas por meio do reaproveitamento.

2. Modernização da frota

Uma frota antiga consome mais combustível e ainda emite mais poluentes. Por outro lado, caminhões modernos são produzidos com uma tecnologia capaz de minimizar em até 80% a emissão de gases, além de realizar um gasto otimizado de gasolina e diesel.

3. Controle de emissão de gases poluentes

O Ministério do Meio Ambiente lidera campanhas para controlar a emissão de gases poluentes e realiza um acompanhamento rígido da fumaça emitida por veículos.

Por isso, a fim de respeitar a legislação e contribuir para a saúde ambiental, é essencial que empresas adotem medidas para monitorar a performance dos seus caminhões, nesse sentido, para evitar problemas e multas.

Ferramentas como o opacímetro podem ser utilizadas para medir e analisar a densidade da fumaça, ajudando empresas a verificar se suas emissões estão dentro dos padrões permitidos.

Outras boas práticas são a instalação do GNV (Gás Natural Veicular) — menos poluente — em alguns veículos e até mesmo a adoção de carros movidos à energia elétrica que dispensam o uso de combustíveis.

4. Otimização das rotas

A tecnologia usada para criação de mapas inteligentes capazes de otimizar rotas de entrega é uma ferramenta que traz grandes benefícios para as empresas. O sistema permite o melhor aproveitamento dos trajetos e a redução do tempo de transporte das mercadorias.

Consequentemente, a instituição consegue fazer entregas mais rápidas — o que aumenta a satisfação dos clientes. Ao mesmo tempo, rotas curtas impactam na redução dos gastos com combustível e na menor emissão de gases poluentes. Dessa maneira, todos saem ganhando.

5. Processos otimizados

Operações logísticas mais enxutas e simplificadas — conforme os preceitos da Metodologia Lean — são também sustentáveis, uma vez que elas prezam pela agilidade e redução de desperdícios e gargalos.

Assim, ao investir em práticas mais eficientes para otimizar a armazenagem — baseadas em soluções reutilizáveis —, a movimentação e o transporte de produtos, a empresa se beneficia com a diminuição de erros, perdas, despesas e etapas desnecessárias. Como resultado, consome menos recursos e gera menos lixo, ajudando o meio ambiente.

Atuar de forma sustentável e contribuir para melhorar a qualidade de vida da população integram a lista de prioridades das empresas do futuro.

Sua empresa tem muito a lucrar se assumir uma posição consciente e fazer sua parte. Portanto, não perca tempo e faça da ligação entre logística e meio ambiente uma meta importante para o seu negócio!

Você gostou de ler sobre logística e meio ambiente? Então, continue conosco e confira como a logística tem grande impacto no crescimento da sua empresa. Assim, você se torna um especialista no assunto!

 

Comentários (1)

  • Avatar

    Sergio Ferreira

    |

    Excelente Matéria, Parabéns!
    Segundo o Jornal Estadão em 10/02/2016, a frota de caminhões de autônomos apresenta idade média de 18 anos no Brasil.
    Isto contribui para maior poluição do ar, mais paradas para manutenção, queda de produtividade, maior riscos de acidentes, etc.
    Para reverter este quadro, entendo que a Sociedade e governantes, poderiam elaborar um projeto a 4 mãos: De que Forma?
    Primeiro criação de um programa do BNDES para liberação de credito subsidiado para renovação de frota, tanto de autônomos como de empresas.
    Segundo: Baixar os impostos para a indústria de caminhões, haja vista a necessidade de incentivo à substituição
    Terceiro: Elevação do IPVA e Licenciamento a medida em que o carro envelhece, assim, quanto mais velho, mais caro o IPVA. Atualmente, nossa política é exatamente o inverso, ou seja, quanto mais velho, menos IPVA.
    Limitação de idade para trânsito em rodovias. Após estudos, a idade máxima do carro prestando serviços deveria ser proibitiva, por exemplo, não mais poder rodar com caminhões acima de 20 anos nas estradas.
    Fiscalização intensa sobre manutenção dos caminhões, principalmente sobre freios, iluminação e itens de segurança.
    Desconto em IPVA e Licenciamento para veículos que apresentem menores índices de multas e acidentes e acréscimo para os veículos com maior índice.
    Obrigatoriedade de contração de seguros contra terceiros.
    Assim, várias propostas poderiam ser debatidas e levadas à discussão, o que contribuirá seguramente com a indústria automotiva, segurança nas estradas, poluição de meio ambiente, etc.

    Reply

Deixe um comentário