Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Entenda o que é e como funciona o dropshipping

201 Visualizações

Entenda o que é e como funciona o dropshipping

Entenda o que é e como funciona o dropshipping

Para muitas empresas, organizar todas as etapas da logística é um grande desafio, sobretudo para e-commerces que estão no início de suas operações. Uma das maiores dificuldades é a gestão do estoque, que precisa ser bem controlada para não prejudicar o atendimento dos pedidos.

Assim, negócios que não querem lidar com processos de estocagem, armazenamento e remessa podem se beneficiar com a incorporação do dropshipping, uma solução que permite a delegação desses procedimentos para outra empresa parceira.

Graças a essa técnica, grandes instituições como o Amazon conseguiram elevar suas vendas e crescer no mercado.

Para saber como essa metodologia funciona e se ela é adequada para o seu empreendimento, continue conosco e descubra agora tudo sobre o dropshipping!

O que é dropshipping?

O dropshipping é um modelo de negócios, adotado em grande parte por e-commerces, no qual o vendedor disponibiliza em seu canal de venda determinados produtos ou serviços, porém ele não realiza a entrega nem detém itens em estoque.

Dessa forma, podemos afirmar que o lojista atua como um intermediador ao fechar pedidos. Seu e-commerce funciona como uma vitrine virtual, porém esse empreendedor utiliza o estoque e as estruturas de distribuição de terceiros para chegar até seus clientes finais.

Por isso, o dropshopping é uma alternativa interessante para negócios em sua fase inicial, na qual muitos empresários não têm como realizar grandes investimentos em mercadorias.

Além do mais, o dropshipping permite que varejistas coloquem em prática todas as suas ideias e ofereçam os mais variados produtos, já que não terão que lidar com a gestão do estoque ou da entrega.

Como esse modelo funciona?

O processo de dropshopping é simples e funciona, em geral, da seguinte forma:

  1. O cliente acessa um e-commerce ou entra em contato com uma loja. Nesse momento, faz suas escolhas e fecha uma compra. Na maior parte das vezes, essa transação acontece virtualmente, em um ambiente onde a retirada dos produtos não é imediata.

  2. O lojista recebe os pedidos e os repassa para seu parceiro de dropshipping, que muitas vezes, é o próprio fornecedor.

  3. O fabricante parceiro fica encarregado de separar, embalar e enviar os itens que mantém em seu estoque para os clientes finais em nome da empresa vendedora.

  4. A logística reversa também fica por conta desse parceiro, caso o cliente precise trocar ou devolver sua compra. Todavia, todo o contato é feito diretamente com o lojista.

Como podemos ver, toda a logística de entrega é feita pelos fornecedores, e o varejista não tem sequer acesso aos itens. Normalmente, a loja lucra com a diferença entre o preço divulgado para o cliente e o valor cobrado por seu parceiro de dropshipping.

Quais são suas vantagens e desvantagens?

A logística é composta por uma cadeia complexa de processos, que também gera altos custos. Portanto, delegar essas atividades para outra empresa mais experiente pode ser uma excelente opção para pequenos e médios negócios, por exemplo.

Por outro lado, trabalhar a revenda de artigos de terceiros pode apresentar riscos e desafios para o fortalecimento de uma marca. O dropshipping é, então, a ferramenta ideal para todos os tipos de empreendimento? Entenda seus prós e contras:

Vantagens

1. Custos reduzidos

Sem dúvidas, um benefício atraente do dropshipping são os baixos gastos, uma vez que o empreendedor não terá despesas com estoque, armazenagem, manuseio, transporte, entre outros custos.

Logo, as despesas fixas de um negócio que adota esse modelo de distribuição são muito reduzidas e, assim, uma pessoa consegue manter uma loja desse tipo gastando pouco por mês, em comparação com uma empresa tradicional. O empresário apenas terá que desembolsar uma quantia necessária para manter o site funcionando.

2. Flexibilidade

Com esse sistema, o empreendedor tem a liberdade de gerenciar seu negócio de qualquer lugar. Como as transações acontecem normalmente online, tudo que ele precisa é conexão com a internet para se comunicar com fornecedores e clientes.

3. Possibilidade de ampliar o mix de produtos

Para adicionar um novo artigo em seu catálogo, o varejista apenas necessita entrar em contato com um novo fornecedor e estabelecer um acordo com o mesmo. Dessa maneira, uma loja pode oferecer uma ampla variedade de produtos.

4. Foco no reforço da marca

Como o lojista não precisa cuidar de todo o trabalho logístico e nem da fabricação — o que consome muito o tempo e os investimentos de uma empresa —, ele tem a oportunidade de focar apenas no crescimento de sua marca, no atendimento dos clientes, entre outros aspectos que reforçarão sua marca no mercado.

Desvantagens

1. Baixa competitividade

Um dos aspectos primordiais que garante o sucesso e o destaque de uma empresa no mercado é a exclusividade dos produtos ou serviços que uma marca oferece. Uma loja que trabalha com artigos inovadores, criativos ou diferenciados, por exemplo, tem mais chances de ganhar a atenção e a preferência dos consumidores.

Um obstáculo do dropshipping é conseguir disponibilizar uma variedade de artigos que sejam únicos, já que existem muitas outras empresas ofertando itens muito semelhantes ou firmando parcerias com os mesmos fornecedores.

2. Lucros limitados

Se a concorrência tende a ser mais elevada, um varejista dificilmente conseguirá ter muito sucesso se praticar preços muito altos para ter mais rentabilidade. As margens de lucro são reduzidas, já que boa parte do valor dos produtos fica com o fabricante. Consequentemente, é preciso vender um volume significativo para que a adoção do modelo seja economicamente vantajosa.

3. Incerteza sobre a disponibilidade dos itens

Um fator muito arriscado desse modelo é conseguir fazer um controle eficiente do estoque do parceiro. Então, é preciso investir na tecnologia adequada para que a sincronização entre o catálogo da loja e a disponibilidade do fornecedor seja perfeita.

Caso contrário, o empreendedor pode ter sérios problemas como vender artigos que não existem mais ou estão inacessíveis no momento. Isso acaba refletindo na alteração dos prazos de entrega, insatisfação dos clientes — o que acaba gerando prejuízos.

O dropshipping é um modelo interessante que permite que um negócio venda sem precisar gastar tanto com processos logísticos. Porém, ele nem sempre é o método mais adequado para todas as empresas.

Para que sua adoção seja bem-sucedida, o empreendedor deve selecionar bem seus parceiros e investir em um bom site, entre outras etapas que façam com que a experiência do cliente seja positiva.

Você gostou de entender como funciona o dropshipping? Acredita que adotar esse sistema seria interessante para o seu negócio? Tem mais alguma dúvida? Então, compartilhe suas ideias conosco nos comentários!

 

Deixe um comentário