Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Entenda o que deve fazer parte de uma proposta de frete

180 Visualizações

Entenda o que deve fazer parte de uma proposta de frete

Entenda o que deve fazer parte de uma proposta de frete

Uma das premissas para o sucesso da logística de uma empresa é a entrega com qualidade, rapidez e segurança da mercadoria ao consumidor. Mas, você sabe o que faz parte de uma proposta de frete?

Como gerente logístico, é importante que você conheça e saiba avaliar um contrato de frete. Afinal, para fechar um bom negócio é preciso estar por dentro de todas as variáveis que influenciam no valor final do transporte.

Diante da importância do assunto e da dificuldade de alguns profissionais em definir se o preço de um frete tem um bom custo-benefício, preparamos este post. A seguir você poderá sanar todas as suas dúvidas sobre o assunto e se tornar um gerente ainda mais eficiente.

Podemos iniciar? Então, continue atento!

Quais fatores influenciam o valor de um frete?

Contratar uma transportadora é uma estratégia inteligente. A terceirização do serviço de transporte é algo que traz mais eficiência e profissionalismo às entregas da empresa e, consequentemente, contribui para a satisfação de sua clientela.

No entanto, essa nem sempre é uma tarefa simples. Com tantas empresas atuando nesse segmento, os gestores precisam ter um bom conhecimento sobre o cálculo do frete e ainda avaliar com atenção aspectos relacionados à própria transportadora.

Mas, afinal, o que compõe o preço final de um frete? Quais as variáveis são levadas em conta nesse tipo de contrato?

De modo geral, inúmeras questões influenciam no valor que você pagará para deslocar suas mercadorias pelo território, e as principais delas são:

  • distância a ser percorrida — as cidades de origem e destino;

  • valor da mercadoria transportada;

  • peso total do pacote;

  • cubagem — m³ total dos volumes;

  • quantidade de volumes;

  • produto a ser transportado.

Sendo assim, sempre que você precisar contratar uma transportadora, o valor por ela cobrado deve estar compatível com todos esses itens. Conhecê-los é essencial para identificar um bom frete e, assim, fechar uma parceria de sucesso.

Quais adicionais podem existir em uma proposta de frete?

Além dos aspectos relacionados acima, alguns adicionais podem compor o preço final do frete. Ressalta-se que isso varia conforme as necessidades de seu negócio e da mercadoria a ser transportada. Observe:

1. Agendamento de entrega

É comum que entregas realizadas para Centros de Distribuição ou grandes redes atacadistas necessitem de um agendamento para efetivação da entrega. Quando isso ocorre, o veículo de transporte fica aguardando por horas até que a entrega possa ser concluída e, por essa razão, há a cobrança de um adicional.

Portanto, se sua empresa demanda por entregas agendadas, provavelmente terá em sua proposta de frete esse tipo de adicional.

2. Carro dedicado

Outro caso comum no universo do transporte de cargas é a demanda por um carro dedicado, isto é, a necessidade de que o veículo transporte apenas uma mercadoria.

Obviamente, como o carro ou caminhão levará apenas o produto de sua empresa, o custo do frete sofrerá alterações. Via de regra, existem alguns custos extras nessa operação, como:

  • Taxa de Carro Dedicado (TCD): Quando destinatário permite somente o seu produto no veículo que realizará a entrega.

  • Taxa de Dificuldade de Entrega (TDE): Quando o destinatário possui algum fator que dificulta a entrega, podendo gerar demora. Exemplo: Fila de espera, conferência dos produtos internos, entre outros.

  • diárias: Quando o veículo fica um período superior a 6 horas no local aguardando recebimento da mercadoria.

3. Paletização

A paletização, como você sabe, é a disposição e organização das mercadorias em pallets e tem sua movimentação realizada com o auxílio de empilhadeiras.

Alguns destinatários podem exigir a classificação das mercadorias e, nesse caso, será necessário adotar o método da paletização. Por esse motivo, o valor do frete também sofrerá aumentos, já que esse tipo de transporte gera mais custos à transportadora.

É importante lembrar que em relação a essas exigências do destinatário, o contratante não dispõe de muitas opções. Os remetentes são obrigados a cumprir com as determinações dos destinatários, pois, caso contrário, a carga não é recebida no destino final.

4. Descarga por terceiros

Algumas entregas necessitam que a descarga da mercadoria seja realizada por terceiros. Nesses casos, como há a contratação de outros indivíduos para o procedimento, a transportadora repassará esse custo à empresa contratante, e o custo final do frete sofrerá um aumento.

No entanto, é importante frisar que isso assegura a qualidade do processo e contribui para que suas encomendas cheguem ao destino final e sejam descarregadas sem danos às embalagens e ao próprio produto.

5. Impostos e taxas extras

Além de todos esses adicionais, um gerente logístico deve atentar à incidência de impostos e taxas extras no transporte, como no caso dos pedágios.

Em geral, esses custos variam conforme a localidade. No caso do pedágio, conforme orientação do NTC (entidade responsável por orientar as tarifas no segmento de transporte), ele deve ser cobrado por fração de 100 kg.

Já em relação aos impostos, é importante observar que o valor final varia conforme o estado de emissão e a legislação em vigor no momento do despacho.

Como saber se a proposta de frete apresentada vale a pena?

Diante do que foi exposto ao longo deste post, é possível observar que inúmeros aspectos influenciam no valor final do frete. Um bom gerente de logística deve manter-se sempre atualizado quanto a essas variáveis e aprender a identificar uma parceria de sucesso.

Mas, como saber se a proposta de frete é vantajosa?

Em primeiro lugar, você deve se lembrar que nem sempre o preço é o elemento mais importante em um negócio. Na verdade, quando lidamos com o transporte de cargas, diversas outras questões precisam ser observadas antes de se assinar um contrato.

Muito mais que o preço, você deve analisar:

  • o histórico da transportadora no mercado;

  • o tipo de estrutura ofertada — caminhões novos e modernos, motoristas e funcionários treinados;

  • a estrutura de atendimento e suporte prestado;

  • o uso de plataformas digitais;

  • a quantidade de filiais que a transportadora possui;

  • o prazo de entrega.

Além disso, recomenda-se que você procure realizar uma breve pesquisa de mercado, principalmente com empresas que já trabalham com a transportadora pretendida, ouvindo desses clientes suas impressões sobre o serviço por ela prestado.

Como é possível perceber, a proposta de frete é formada tendo como base inúmeros elementos. Agora que você já conhece bem todas essas variáveis, assim como os demais aspectos que se deve observar ao fechar esse tipo de contrato, está mais preparado para avaliar o custo-benefício da proposta com a tranquilidade de estar investindo em uma boa parceria.

O que achou do post de hoje? Ele foi útil e o ajudou a sanar suas dúvidas sobre o tema? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber conteúdos como este diretamente no seu e-mail!

Comentários (2)

  • Anônimo

    |

  • Anônimo

    |

Deixe um comentário