Rastreie
sua carga
Clique para rastrear sua carga

Conheça os 7 principais custos de frota e saiba como gerenciá-los

686 Visualizações

Conheça os 7 principais custos de frota e saiba como gerenciá-los

Conheça os 7 principais custos de frota e saiba como gerenciá-los

Os gastos relacionados ao uso e à operação de veículos são os que mais pesam no orçamento logístico de uma empresa. Para manter os preços dos fretes mais competitivos e garantir a lucratividade do negócio, a empresa precisa ficar de olho nessa despesa a fim de mantê-la a mais enxuta possível.

Por essa razão, gestores precisam conhecer a fundo os principais custos de frota para, assim, estudar as melhores práticas de como administrá-los, aumentando a eficácia e produtividade dos veículos e eliminando desperdícios e atitudes que geram mais gastos. Afinal, quanto mais conhecimento sobre as rotinas de uma área, mais amparados estarão os executivos no processo de tomada de decisões.

Dessa maneira, esse conteúdo visa ajudar gestores de frotas a identificar quais são as 7 despesas mais significativas e, então, apontar oportunidades de melhoria para o controle e redução das mesmas. Se você está interessado nesse assunto, continue a leitura e não deixe de conferir nossas dicas!

1. Manutenções

As manutenções são indispensáveis para o bom funcionamento dos veículos. Contudo, para gerenciá-las da melhor forma, o gestor de frotas precisa elaborar um plano de manutenções preventivas para cada automóvel, evitando ajustes não planejados que podem sair bem mais caros.

As manutenções preventivas reduzem expressivamente o número de quebras e falhas, o que consequentemente contribui para que paradas inesperadas e prejuízos aconteçam.

Desse modo, criar e respeitar um cronograma de manutenções preventivas é a melhor forma de preservar problemas, minimizar os custos de frota e garantir que os carros estejam sempre disponíveis e em bom estado.

2. Consumo de combustível

O combustível é um dos maiores custos de frota, especialmente devido à alta de preços no país. Nesse cenário, existem algumas medidas que as empresas podem adotar para economizar nesse quesito, como:

  • adquirir veículos mais modernos e eficientes, que proporcionam um consumo reduzido de combustível;

  • adaptar a frota para a utilização do gás natural veicular (GNV), que é consideravelmente mais barato que o diesel. Vale lembrar que essa solução necessita de um investimento para a adequação dos carros. Portanto, essa opção deve ser bem estudada pela empresa;

  • otimizar rotas com ajuda de softwares de roteirização que desenham caminhos mais curtos e rápidos, minimizando a necessidade de abastecimento.

3. Treinamento dos motoristas

Fazendo uma conexão com os tópicos anteriores, a forma como os motoristas dirigem tem um impacto significativo tanto nas manutenções como no consumo de combustível.

Desse modo, treinar os condutores assegura não somente que o transporte de mercadorias seja feito com qualidade, mas também que os custos de frota sejam reduzidos. São muitos os hábitos ruins que aceleram a necessidade de reparos e aumentam a necessidade de abastecimento, como:

  • acelerar na arrancada;

  • dirigir em alta velocidade;

  • andar com os pneus descalibrados;

  • deixar o carro desalinhado;

  • carregar peso excessivo ou não distribuir uniformemente a carga;

  • colocar o veículo em ponto morto.

O intuito é que a capacitação ajude os motoristas a eliminar essas atitudes, conhecer melhor os veículos e adotar melhores práticas que poderão colaborar com a economia e conservação da frota, além de reduzir a incidência de multas.

4. Segurança

Um seguro para a frota é crucial para proteger esse recurso tão importante da empresa. Para economizar, é preciso planejar bem esse custo e negociar com a seguradora as necessidades de cobertura, franquia, entre outros aspectos.

De qualquer forma, contar com essa proteção é muito mais um investimento para a empresa do que um gasto.

5. Documentação e regularizações

Outros custos de frota que devem ser observados são os impostos e taxas obrigatórios. Aqui, destacamos o pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor), que deve ser pago no início de cada ano.

Além disso, existe o programa Despoluir, que estimula empreendedores do setor de logística a obedecer as normas ambientais relacionadas às emissões de poluentes e promover um transporte mais limpo.

O programa realiza inspeção nos veículos e os equipa com opacímetros — que analisam o volume de fumaça liberada pelos motores.

Por fim, é relevante também lembrar que gestores precisam estar atentos à gestão das multas, bem como buscar formas de evitá-las sempre.

6. Depreciação da frota

Com o tempo, acontece o desgaste natural dos veículos, e a empresa precisa se planejar financeiramente para a renovação da frota. Apesar de esse passo ser considerado um investimento para o negócio, existem formas de prevenir a repentina descapitalização da instituição com a compra de novos carros.

Primeiramente, esse gasto deve estar presente no planejamento da empresa. Ademais, cuidar da manutenção e conservação dos veículos retarda a necessidade de reposição da frota e compromete a possível revenda desses carros.

7. Custos ocultos

Custos de frota ocultos são um desafio para os gestores, uma vez que eles geralmente não são percebidos e possuem origens diversas. Além disso, eles quase nunca são monitorados e mensurados, o que dificulta a otimização dessas despesas.

Usualmente, eles acontecem por conta da falta de planejamento e controle, que abre caminho para os desperdícios e a ineficiência operacional. Alguns exemplos são:

  • frota ociosa ou indisponível — pode acontecer por conta da falta de organização das viagens ou da ausência de manutenções preventivas;

  • desperdícios — manutenções não planejadas podem acarretar a encomenda de um número de peças além do necessário (cujas sobras precisarão ser armazenadas, gerando mais custo) e um gasto financeiro que poderia ser menor;

  • uso de recursos inadequados — utilizar ferramentas inadequadas, combustível de má qualidade (por ser mais barato) e não otimizar a distribuição das rotas e das cargas dentro de um veículo são exemplos de atitudes que causam mais custos e ainda contribuem para a depreciação precoce da frota.

Empresas que fazem da logística seu core business e desejam operar em alta performance precisam contar com bons veículos. Dessa forma, ela será capaz de suprir altas demandas e atender clientes com qualidade. Por isso, o controle dos custos de frota é fundamental tanto para a rentabilidade do negócio como para manter a produtividade e eficiência do fluxo de entregas.

Gostou de entender melhor como gerenciar os principais custos de frota e otimizar o orçamento de sua empresa? Então, assine nossa newsletter para receber, diretamente por e-mail, nossos conteúdos e novidades!

 

Deixe um comentário

Open chat